quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Como em uma beliche...

Minha barriga cresce mais e mais a cada dia. Sinto o peso dela nos pés, nas virilhas, nas pernas.
Antônia adora dar cambalhotas à noite, assim como o joão fazia e todo mundo dizia pra eu me preparar porque ele não dormiria, repetindo os hábitos intra-uterinos...
Nossa interação tem sido às pressas já que o trabalho me toma dois terços do dia e o João todo o resto. Mesmo assim, conto com um momento diário que vale toda a minha insatisfação com a nova silhueta, todas as dores nas pernas nas virilhas e tudo mais... Depois da leitura, já conchegados na poltrona do quarto e agarrados como dois koalas, coloco o João de bruços sobre a minha barriga, e enquanto misturo murmúrios com estórias e uma respiração tranquila, ele me abraça a barriga com as pernas, acaricia as bochechas e orelhas, e aos poucos embarca no soninho mais inocente, entregue seguro ao meu colo. Antônia no ändar de baixo", retribui a esses carinhos, barulhinhos e ao peso do irmão que a aquece, com natação lenta, daquelas de gravidade zero... como uma astronauta. Penso coisas lindas, como a maravilha de estar ali, tranquila com meus dois filhos em mim e no momento seguinte em que o Pedro cuidadosamente abre a porta do quarto para me acordar deste cochilo sem pressa. A chegada dele, junto com o adormecer do João, são o melhor momento do meu dia.

Um comentário:

Gabriela disse...

Oi Norita vc é uma pessoa muito especial...,
Muitos beiojosss