segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O castigo do João


Fui buscar o João na creche mais cedo do que de costume já que a saudade foi mais forte que o cansaço do final de semana. Eu queria ver aquela carinha feliz por me ver chegar na creche e voltar logo pro Jardim Botânico. O horário de verão faz com que tenhamos mais tempo para bricar antes do jantar, quem sabe dando um passeio como na quinta feira passada, quando fizemos uma boa farra na Lagoa?
A recepção foi deliciosa como sempre, com abraços mil e carinhos apertados. Entramos no taxi bem abraçadinhos e viemos pelo caminho, comendo bananas e olhando para os coqueiros em busca dos macacos. Quando chegamos em casa ainda pegamos o carrinho e demos uma boa volta no quarteirão, aproveitando para comprar leite e biscoito maizena no mercadinho da esquina. Voltamos de mãos dadas, ele sentado no carango, olhando para trás e fazendo contorcionismo para poder me dar a mão enquanto voltávamos para casa.
Ainda tivemos tempo de jogar bola, ouvir música, brincar de cosquinha e explorar o espaço amedrontador embaixo do berço antes da hora da ceia.
Depois da sopa de batata doce com espinafre e requeijão e da gelatina de uva começou a malcriação.... No banho não levantava para lavar o pinto. Jogava água pra cima, dava risinhos desafiadores, me testando a todo momento. Sem hesitar nem levantar a voz, falei firme e tirei o pequeno da banheira para ensaboar em pé do lado de fora. Chorou. Quando voltou para se enxaguar, recomeçou a bagunça e o choro cessou imediatamente.
Peguei o enroladinho de criança mais gostoso do mundo e levei para o trocador. Tudo estava bem até que ele sem mais nem porque, me deu um tapa. E outro. Ficou esperando a minha reação. Sem medo e bem determinada, peguei o moleque espivitado molhado e pelado, e coloquei no berço. Disse que ele não podia bater na mamãe e que por isso estava de castigo. Saí do quarto e encostei a porta. Silêncio. Logo em seguida, choro, choro e choro. "Mamãããnhêêêê... Auauaouauaua...."Minha intenção era a de permanecer do lado de fora durante um minuto e meio, tempo equivalente a sua idade. Não aguentei esperar esta eternidade e voltei com 50 segundos.
Encontrei ele ali, com os bracinhos esticados, me chamando com as mãozinhas nervosas, me pedindo colo. Quando fui pegá-lo, se jogou dando risadas no berço. Falei firme. João, está na hora de trocar a fralda e colocar o pijama. Você quer mais castigo? Na mesma hora, me obedeceu, veio no colo e dócil como de costume, me deixou fazer o que devia ser feito. Nos abraçamos como todas as noites, iluminamos o quarto com a lanterna, lemos o livro dos peixes e cheios de carinhos, adormecemos. É o início de outra fase de nossa relação.... Mamãe brinca, alimenta, dá carinho, cuida, e agora... EDUCA!

Um comentário:

Gabriela disse...

Está uma figurinha com esse pijama vermelho e essa carinha de sono...
Paixão da vovó Gaby
Bjosss